21.9.15

COLLEGE | acerca de Métodos de Estudo



3 coisas que eu aprendi sobre isto: não são infalíveis, são muito pessoais e vão mudando constantemente ao longo da nossa vida académica.



1. Arranja o mood certo. Aquela playlist que adoras, o snack que deixas sempre por atacar, o caderno novinho em folha, as canetas que fazem a tua letra mais bonita. Coleciona coisas na tua hora de estudo que te façam sentir a motivação a correr-te pelas veias.

2. O companheiro de estudo perfeito. Achavas que só existiam almas gémeas no amor? Desengana-te. Cada um de nós tem por aí o parceiro perfeito de estudo. Aquele que vai dizer: Vá lá, só mais desta vez, para percebermos isto à séria. ou então Queres café? Sai uma rodada dupla para a mesa 6. Ter um colega - para os ainda mais sortudos, um amigo - que partilhe bons objetivos convosco é dádiva, disso vos garanto. Lembram-se da historinha das más companhias dizerem quem somos? E porque não a bela história das ótimas companhias fazerem o nosso estudo? Teorias dizem que comemos muito mais quando estamos em grupo, pelo conforto, talvez. Com o estudo, acontece o mesmo: o conforto de termos alguém a passar pelo mesmo desespero, a estar lá para as pausas e pelas gargalhadas ou até simplesmente pela partilha de conhecimentos, pela compreensão. Arranjem um mate, vá lá!

3. Nunca (mas nunca mesmo) subestimes o poder de uma boa imagem. Ok, acabaram de ler mil páginas sobre os ossos da cabeça. E agora? O que eram mesmo os cornetos? (meddies vão perceber) 
Somos humanos. Fomos criados para ver, sentir, cheirar, saborear. É claro que o conhecimento vai estar sempre de mãos dadas com a memória desses sentidos. E é importantíssimo pensarmos mais em estudar assim. A teoria importa sim, mas e o exemplo dela? E a coisa real da coisa? Vão ao youtube, despejem para lá o tema desejado e voilà. Mal ou bem - há que depois saber filtrar a boa informação - vão ficar com a matéria retida de forma corrida, movimentada, ouvida. E isso, acreditem, que faz toda a diferença quando têm professores a perguntar-vos coisas diretamente. É aí que vão dar graças a esses minutos de pura visualização.

4. Escrevam. Escrevam. Escrevam. Para quem não gosta de fazer resumos, como eu, façam esquemas. Desenhem! Usem a escrita para ensinarem o vosso cérebro a pensar nas palavras que lá estavam. Cada volta com a ponta da caneta vale a pena. Quanto aos esquemas, optem por, depois de lerem tudo sobre um determinado assunto, jogar com palavras-chave e mensagens a reter e juntem tudo isso com setinhas e caixotas. Não exagerem na quantidade de cores. Quando se quiserem servir da vossa memória visual, vai estar tudo uma salganhada. Optem por fazer uma coisa toda a uma cor e, só depois sobressaírem algo com um marcador ou algo do género. 

5. Relaxem. Se queres fazer alguma coisa de jeito nessas 4 horas de estudo que te impuseste, um intervalo entre elas é mandatório. E não vale passar o intervalo a pensar que matéria vais atacar a seguir - o que é tentador em época de exames, confessem-se - Não! Vais sair da tua área de estudo que está claramente contaminada de pouca paciência e ... vais ver o Sol. Ou melhor, se estiver a chover, vais ver a chuva! E fazes um chá. E fazes-te um favor.

6. O respeito sagrado pela hora do João Pestana. Ainda hoje não entendo como o meu irmão consegue fazer diretas a estudar. Eu nunca fui esse tipo de aluna e acho os efeitos de uma direta brutalescos no dia seguinte. Não consigo e recuso-me a fazê-las (a não ser que um dia tenha uma crise de esquecimento de entrega de trabalho e o faça em situação de pânico). Respeitem o vosso corpo, que ele vai fazer o mesmo! É este o mote. Sejam 7, 8 ou até 9h de descanso que precisam para se sentirem fabulous. Façam-nas. Não há exame nenhum que mereça o porem em risco a vossa saúde mental e física, acreditem. Lembrem-se de quem é a personagem principal desta história: vocês.




E, por fim, queria aproveitar para relembrar que, tal como disse, os métodos de estudo são sempre muito pessoais. Ainda que eu leia as coisas parecidas com a colega da mesa do lado, eu com certeza estarei a pensar de uma forma diferente nelas. Daí a importância de estabelecerem as vossas próprias metas, tais como: tempo de estudo, o que vão estudar, com quem e onde vão fazê-lo. 

Espero que tenha sido útil ao responder a um dos mais requisitados temas aqui para o blog por vocês e partilhem também estratégias vossas que possam revolucionar as nossas vidas académicas! 

10 comentários:

  1. Isto é tudo tão verdade! Mil améns!

    ResponderEliminar
  2. Muito bem Inês :)) eu quando estudava confesso que deixava algumas coisas para a última da hora, mas nunca as deixava de fazer :p

    ResponderEliminar
  3. concordo contigo, só adicionava a dica de não deixar o estudo todo para o dia da véspera ou dois dias antes de uma prova pq, para mim pelo menos, não resulta!
    http://adventu-re.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  4. As dicas irão ajudar-me num futuro próximo, de certeza!! Obrigada :)

    ResponderEliminar
  5. Gostei das dicas, vou tentar não me esquecer delas, porque parecem muito úteis!

    ResponderEliminar

YOU are here. Thanks for that.

 
Designed by Beautifully Chaotic