4.9.15

SEPTEMBER, 4th




34 anos. E uma vida de sucesso pela frente. Um ícone a vários níveis, pela excelência. E, por mais incrível que pareça, não é a música o fator que mais me faz gostar dela. É o facto de ser mais, quando podia limitar-se ao fácil estatuto que a fama lhe deu. Durante a minha semi-vida, conheci pessoas que torceram o nariz a esta minha admiração, que não percebiam simplesmente o que podia eu, uma rapariga cheia de opiniões e com uma alma madura, ver numa cantora de R&B contemporâneo.



Sinceramente, é simples: eu vejo alguém que me inspira. não pela música A ou B, mas pela forma como se apresenta em palco e na vida. Para quem não sabe, Beyoncé Knowles é mesmo muito mais do que tudo aquilo que a descreve. Eu penso nela como alguém que pensa acerca da vida, que é bastante espiritual e que segue um registo intimista em tudo aquilo que decide partilhar. 

A Bey é quase como se fosse aquela pessoa na rua que não conhecemos mas que, ainda assim, admiramos ao longe. Pela aposta que faz no amor, pela importância que dá a causas de foco mundial, pelo incentivo exclamativo que oferece aos jovens, principalmente a nós, mulheres, em inícios ou fins de relações, ou então inícios ou fins de carreiras. Incute-nos uma voz opinativa, ímpar. Exige em cada uma de nós uma ponta de independência que devemos desenvolver.

Uma coisa que eu admiro nela, enquanto grande figura pública que é, é o equilíbrio que consegue manter entre aquilo que é pessoal e íntimo. Quase o mesmo equilíbrio que todos nós podemos gerir nas nossas vidas. A sua história vai-nos ser sempre contada por ela, seja num documentário que decide partilhar ou num simples single que não parece dizer nada, mas que no fundo diz tudo acerca daquilo que viveu e, sobretudo, aquilo em que acredita, da maneira que ela o decide fazer.

Sinto sempre que é uma pessoa que merece atenção porque não implora por ela, entendem? Temos que escavar, escavar bem fundo para descobrirmos realmente aquilo que tem para nos contar. E tem o fator surpresa que eu adoro em todo o ser humano: o não revelar logo, o deixar para o momento certo. 

Há mais de um ano atrás, vi-a pela primeira vez, em Lisboa. Mal eu sabia naquela altura que seria aquela a terra que me ia dar muito mais que um concerto da minha artista favorita. Foi uma das primeiras vezes que estive em Lisboa e, talvez por isso, tenha tido ainda mais um destaque especial na minha vida.


Despeço-me deixando aqui uns links que gostava que visitassem para perceberem do que falo:

Um testemunho curto do que foi Beyoncé Knowles há um ano atrás

Um documentário que me preenche a alma.

4 comentários:

  1. Pois é a B faz anos! :) Posso dizer exatamente o mesmo que tu. Ninguém entende a admiração que tenho por ela. Mas a verdade é que gosto de aprender com ela a ser mulher :)

    ResponderEliminar
  2. Um ícone nas vidas de toda a gente. Parabéns a ela. Beijinho

    http://giselapascoal.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  3. É uma das mulheres que mais admiro!

    ResponderEliminar

YOU are here. Thanks for that.

 
Designed by Beautifully Chaotic