15.4.16

SPOTLIGHT (2015)



Começo por dizer que aqui está um filme que não me desiludiu. Todas as nomeações que recebeu me chamaram a atenção para ele. Apesar de saber que nem tudo o que academia classifica como "ótimo", o é na realidade, o elenco era demasiado bom para o ignorar. 

"Spotlight" conta a história de como o jornalismo abalou a Igreja Católica - como se de um "sismo necessário" se tratasse. Porquê Spotlight? A dupla conotação fez maravilhas por este título e se, por um lado, nos remete para o nome da equipa de jornalistas que desenterrou o escândalo da "pedofilia santa" (Boston, 2002), por outro, relembra-nos que há que manter um foco bem aceso naquilo que precisa de ser visto e conhecido por todos.

Tenho-vos a dizer que este filme é mesmo incrível. E à partida, até nem seria, porque se refere a um tema que todos nós julgamos ter conhecimento. Eu senti que, apesar de conhecer as causas que motivaram o filme, eu não as sabia, de facto. Fala-nos da pedofilia, da hipocrisia da igreja, do jogo do poder... tudo conceitos que pensamos já conhecer, certo...? Mas, ao ver este filme, percebi que se o sabemos hoje é graças a esta fabulosa máquina: o jornalismo. E não me refiro aos media da atualidade. Falo de jornalismo a sério! Aquele que descobre puras verdades porque corre atrás delas, verdades que nem eu ou outro mero cidadão procuraríamos, por falta de intervenção ou conhecimento. 

É interessante apercebermo-nos, ao longo do filme, que a necessidade interventiva na apuração de factos e na responsabilidade moral pode partir de outros grupos, que não apenas do governo de um país ou da justiça do mesmo. Foram jornalistas. E isto relembra-nos, mais uma vez, a proporção que a liberdade de pensamento e expressão pode alcançar. Foi fascinante, aos meus olhos, observar tudo isto.

De facto, torna-se assustador assim que nos focamos na história, quando de repente se faz um click e pensamos: isto aconteceu. isto aconteceu e "ninguém" fez nada para o mudar. É revoltante. E é bom que nos provoque isto, o filme foi feito para gerar reações deste tipo, para relembrar que a santidade pode não ser tão santa assim. É no pormenor dos relatos das vítimas, nas próprias emoções expressas pelas personagens e até na forma leve e informativa - sem muito espaço para novelas e histórias secundárias - do filme, que sabemos que estamos a ver O SPOTLIGHT. 


Finalizo, apenas dizendo que o Mark Ruffalo faz um papelão daqueles - com direito a mudança de voz, de postura... O trabalho de casa dele foi meeeesmo bem feito e  incluiu passar uns dias com o verdadeiro Mike Rezendes (o repórter "real" que ele interpreta, que na verdade, é lusodescendente, sabiam?), chegando ao ponto de lhe perguntar: "Posso ver como é que você berra com alguém?". 

O melhor filme que vi este ano!

8 comentários:

  1. Adorei a forma como descreveste o filme e as emoções que ele gera! Fui vê-lo ao cinema meia contrariada, mas foi uma surpresa incrível! O mais impressionante, para mim, foi mesmo perceber que se calhar não mudou assim taaanto. De vez em quando ainda se ouve falar de casos de pedofilia por padres e afins. É triste. E assustador, ao mesmo tempo, o facto de a igreja encobrir tudo isto...

    Já agora... Se gostas de filmes com histórias verídicas, aconselho-te o Concussion. Não sei se já viste... Mas como também mistura um pouquinho de Medicina, acho que poderás gostar... Eu adorei! ;)

    Um beijinho!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada pela opinião :)
      E por acaso nunca vi, nem sequer ouvi falar, vou com certeza dar-lhe uma oportunidade!

      Obrigada :)

      beijinho!

      Eliminar
  2. Desde que ganhou o Oscar, esse filme despertou a minha curiosidade. Só por ser um filme sobre algo tão atual e que não é tão problematizado quanto deveria, já acho que vale a pena ver. Pela tua descrição, tenho quase a certeza que não me arrependeria nada de ver, então já faz parte da minha lista de filmes a assistir.
    Obrigada pela tua opinião sobre o filme :)
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que não te vais arrepender, mas depois diz-me o que achaste :)

      Um beijinho Inês!

      Eliminar
    2. Olha quem vim eu descobrir aqui no comentário a cima ahah :D

      Eliminar
  3. Tenho de ir ver este, sem dúvida que vou ter de tirar um tempinho este fim de semana :D sugiro que vejas o The Room! Eu adorei :) beijinho!

    ResponderEliminar
  4. Já queria muito ver este filme e, depois de ler isto, fiquei com ainda mais vontade. Acho que vai ser já hoje à noite que trato disso (=

    ResponderEliminar
  5. Ficámos com ainda mais vontade de o ir ver. Obrigado pela partilha! A ver se tratamos disso em breve!

    ResponderEliminar

YOU are here. Thanks for that.

 
Designed by Beautifully Chaotic